10 Estratégias para motivar a sua equipa no trabalho

Reunimos 10 dicas para manter a sua equipa motivada. Porque colaboradores inspirados, são colaboradores empenhados.

Cada vez mais as empresas preocupam-se em perceber como motivar os seus colaboradores no desempenho das tarefas. Isto porque de acordo com um estudo de 2014, publicado pela Officevive, 69% dos trabalhadores afirmam que trabalhariam mais se vissem os seus esforços reconhecidos.

Por outro lado, um nível alto de motivação no trabalho gera maior produtividade. É uma conta de 2+2. 

Trabalhadores motivados são trabalhadores que gostam da empresa, dos colegas e das funções que exercem, são trabalhadores que se entusiasmam com as tarefas que fazem e lidam com a rotina de forma bem-disposta e proativa.

Por isso, estes colaboradores querem naturalmente contribuir e acrescentar valor à organização, o que se traduz num maior empenho, numa participação mais ativa em reuniões, com mais propostas e soluções criativas, assim como num ambiente de camaradagem e entreajuda entre colegas. Tudo isso é um bom aliado ao cumprimento de metas e à conquista de resultados satisfatórios.

O que gera desmotivação na equipa?

Antes de se implementarem estratégias para criar uma equipa mais inspirada e empenhada, importa saber o que há a melhorar. Pode ser que os seus colaboradores se queixem de:

  • Excesso de trabalho;
  • Desvalorização do seu trabalho;
  • Falta de oportunidades de crescimento, formação e desenvolvimento para a equipa;
  • Falta de apoio da gerência;
  • Ambiente e indivíduos tóxicos.

Cabe à liderança proporcionar um bom ambiente de trabalho e condições de carreira. Quando um destes critérios não é atendido, ou nem sequer tido em conta, é natural que o trabalhador busque outras oportunidades.

10 estratégias para manter a sua equipa motivada

Então, já vimos que manter a equipa motivada é uma mais-valia para a organização. Mas como motivar os membros da equipa para se envolverem mais na empresa, para se dedicarem a cem por cento e estarem disponíveis a ir mais além?

A solução hoje em dia já não passa apenas pela retribuição financeira. É preciso conhecer os desejos e necessidades dos colaboradores para lhes conseguir oferecer as condições que procuram.

Mas há algumas estratégias adotadas que têm tido bons resultados nas equipas. É delas que falamos de seguida:

1. Ouça os seus colaboradores

Cada pessoa é diferente, com formas diferentes de estar, e objetivos pessoais e profissionais também diferentes. Por isso, para conseguir motivar a equipa é preciso escutar cada colaborador.

Os colaboradores desejam sentir-se ouvidos pelo gestor, para poderem partilhar as suas dificuldades e desafios, assim como para darem ideias e sugestões, que podem fazer uma enorme diferença na execução das tarefas de forma mais eficiente.

Não apenas a necessidade de serem ouvidos, é também uma forma de evitar conflitos e problemas de gestão

Na maioria dos casos, algo tão simples quanto uma conversa sincera e assertiva permite solucionar problemas e ajustar necessidades, que, mais tarde, podem vir a tomar proporções assustadoras e implicarem a alocação de tempo e custos para a sua resolução.

2. Crie um bom ambiente de trabalho

Há já vários exemplos de empresas, como a Google e o Facebook, que têm apostado num bom ambiente de trabalho e isso tem-se refletido na motivação dos seus funcionários. Não só mostra o compromisso da empresa pelo bem estar dos seus trabalhadores, como de facto estimula o entusiasmo na realização das tarefas.

Alguns exemplos do que pode tornar um ambiente de trabalho mais agradável são:

– Horário e local de trabalho flexível;
– Boa iluminação e higiene no escritório;
– Conforto, saúde e alimentação;
– Ações de endomarketing (estratégias de marketing viradas para o público interno da organização);
– Atividades de team building.

3. Invista numa boa comunicação

Mostrar-se acessível e disponível para ouvir os seus colaboradores é importante para alinhar necessidades e expectativas, e até para solucionar conflitos, como já vimos. Para isso, é preciso abrir um canal de comunicação eficiente, onde todos possam participar. 

Encontrar maneiras de dialogar com os seus colaboradores pode ser feito, por exemplo, através de reuniões periódicas, onde se estabeleça debater sobre:

  1. Identificação de falhas;
  2. Atribuição de novas tarefas;
  3. Apresentação de resultados.

Deve-se ter em atenção que a falta de comunicação ou um diálogo ineficaz geram mal-estar interno, falta de empenho e, consequentemente, resultados abaixo do potencial. 

4. Faça uma distribuição eficiente de funções e tarefas

Nada deixa um indivíduo mais desmotivado do que estar a desempenhar funções e tarefas que não gostam, não são compatíveis com as suas expectativas, exigem qualificações e competências que este não possui, apresentam algum problema na forma como estão a ser geridas, ou já não o deixam contente. 

Para que isso não aconteça, certifique-se de distribuir tarefas desafiantes mas que estejam à altura do potencial de cada colaborador. Conheça os talentos e pontos fortes de cada uma das pessoas a trabalhar na sua organização e ponha-as em uso. 

5. Reconheça os esforços da equipa e comemore vitórias

Quem não gosta de ser reconhecido pelo seu trabalho árduo? Os seus trabalhadores não são, com certeza, excepção, ainda mais porque os benefícios do seu esforço serão colhidos por todos na organização.

Um pequeno obrigado ou um elogio em particular já farão uma enorme diferença para motivar aqueles que se destacam. Mas não se coíba de celebrar resultados, vitórias e conquistas em público, seja através de premiações ou durante as reuniões semanais

O importante é mostrar que valoriza os bons trabalhadores e que está satisfeito por os ter na equipa.

6. Não se esqueça de dar feedback

Assim como os seus colaboradores precisam de um elogio para saberem que vão no bom caminho, a crítica construtiva assume um papel relevante para analisar erros cometidos e sugerir possíveis soluções.

Esta é uma oportunidade para aprender. Mais uma vez esta análise pode ser feita através de reuniões onde toda a equipa se reúne para mostrar insights e comentar a atividade dos profissionais. 

As avaliações de desempenho são outra forma de feedback e uma das táticas que as empresas usam para motivar os seus funcionários. Definidas anualmente ou semestralmente, conforme as organizações, nesta estratégia é dado espaço aos colaboradores para se auto-avaliarem e avaliarem também a gestão e a empresa.

Claro, esta estratégia só resulta se as opiniões e demandas coletadas se materializarem em mudanças benéficas para todos.

7. Não puna erros

Uma empresa que é intolerante aos erros e não aceita a testagem de novas soluções e resoluções de problemas, cria um ambiente asfixiante para os seus funcionários. Além de limitar a abordagem criativa deles, se desde o primeiro momento receiam cometer erros. 

Muitas vezes a inovação é o produto de tentativa e erro. Por isso, dê uma segunda oportunidade aos seus colaboradores sempre que eles errarem, incentive-os a experimentar, e analise com eles os erros.

8. Estabeleça metas claras e realistas

A definição de metas tem como propósito orientar e alinhar as motivações dos funcionários com as da empresa. Mas se estas forem pouco realistas ou irrealizáveis, é normal que isso gere decepção e um desempenho reduzido nos trabalhadores.

Quando as metas são claras, exequíveis e todos entendem que contribuem para os resultados globais da empresa, torna-se mais fácil motivar a equipa.

Consulte a sua equipa antes de as implementar e esclareça com exatidão quais as tarefas prioritárias e as metodologias que devem ser usadas para alcançar essas metas. 

9. Ofereça oportunidades de crescimento e formação

Hoje em dia, a nova geração de profissionais valoriza perspectivas de crescimento e procura por oportunidades para se desenvolver profissionalmente

E é o caso de este ser um aspeto inegociável para muitas das pessoas. Deste modo, oferecer oportunidades de crescimento e formação não é apenas uma forma de motivar os seus funcionários, mas também uma forma de reter talento.

Uma boa ideia poderá ser estabelecer um plano de carreira baseado em metas e desempenho. Assim, todos os interessados vão querer permanecer na organização e trabalhar mais motivados para serem bem-sucedidos. 

10. Evite a microgestão

O microgerenciamento das equipas implica um controlo excessivo da liderança, com deadlines apertados e a cobrança constante de tarefas finalizadas e resultados. Nos últimos anos, este modelo de gestão tem sido criticado.

Não só reduz a produtividade, como gera desconforto e inércia. É a receita certa para a desmotivação.

Além de não permitir aos funcionários atingirem o seu potencial, tem sido comprovado que o contrário resulta melhor – indivíduos que trabalham por objetivos e têm espaço e confiança para realizar as tarefas ao seu ritmo são significativamente mais bem-sucedidos.

Trata-se, acima de tudo, de confiar e mostrar apreciação pelos seus colaboradores. Afinal, foi por acreditar nas capacidades deles que os contratou.